Campeonato Nacional da Classe Hansa, em Cascais: Rui Dowling ficou em 3º lugar

A comitiva do Clube Naval da Horta, no fim do Campeonato Nacional da Classe Hansa, em Cascais: Rui Dowling com a taça do 3º lugar. Lício Silva alcançou a 4ª posição e Libério Santos a 8ª

“Este foi o Campeonato mais duro desde que a Classe Hansa do Clube Naval da Horta (CNH) participa em competições nacionais”. É assim que o Treinador do CNH, João Duarte, classifica o Campeonato Nacional, que decorreu em Cascais de 30 de Junho a 2 de Julho. Este Técnico relata que este domingo os velejadores se depararam “com situações extremas de corrente e muito calor”. E remata: “A Classe Hansa (2.3) do CNH ultrapassou os seus limites. Saímos daqui com mais experiência e calo”.

Neste último dia de prova (domingo, dia 2), os atletas estiveram 7 horas no mar, o que atesta bem a dureza deste Campeonato. A 1ª regata foi anulada por falta de vento e as duas seguintes decorreram com muito pouco vento. Na última já havia de novo muito vento, atingindo mais de 20 nós de velocidade.

Recorde-se que no 1º dia deste Nacional (30 de Junho) não houve regatas devido ao vento muito forte (mais de 30 nós) e que no 2º (1 de Julho) apenas se realizou uma regata, de novo por causa do vento que se fazia sentir (mais de 25 nós). Portanto, o Campeonato da Classe Hansa 2017 desenrolou-se praticamente todo ao longo do 3º e último dia.

camp nac hansa 10 2017

A baía de Cascais apresentou-se ora com ventos fortes ora sem vento

A comitiva faialense regressa ao Faial esta segunda-feira, dia 3. Na bagagem traz a Taça de Rui Dowling, que ficou no 3º lugar do pódio, a experiência de mais esta participação e a vontade de continuar a trabalhar, já a pensar no próximo desafio.

O Campeonato de 2018 será na Madeira, mas até lá haverá muitas outras provas, pelo que o segredo do sucesso é estar cada vez mais bem preparado.

Na conversa telefónica mantida com João Duarte e partilhada com todos os velejadores, foi possível perceber que a moral está em alta, pois há a consciência de terem dado o seu melhor. Aliás, a dificuldade deste Campeonato Nacional é bem a prova do nível em que se encontram os velejadores do Clube Naval da Horta e da sua condição física, já que se tratou de uma experiência completamente nova a todos os níveis.

Lício Silva alcançou a 4ª posição e Libério Santos ficou a meio da tabela, na 8ª, (num total de 16 participantes), tendo todos comemorado na festa que foi a Cerimónia de Entrega de Prémios.

Os dois primeiros classificados foram Fernando Pinto e André Bento, ambos da Escola Nacional de Vela Adaptada, de São Mamede Infesta. 

camp nac hansa 9 2017

O vento extremamente forte fez com que muitas regatas tenham sido canceladas

Consulte  a classificação clicando aqui.