Férias Desportivas do CNH 2017 – Testemunho de Participantes e Monitores

As Férias Desportivas do Clube Naval da Horta (CNH) de 2017 estão a chegar ao fim. Este ano registaram-se algumas mudanças, a começar pelo Coordenador, o professor Miguel Mendes.

O Gabinete de Imprensa do CNH colheu o testemunho de alguns dos Participantes assim como dos Monitores das Férias Desportivas do CNH 2017, que revelaram as atividades mais marcantes, adiantando pormenores do tão aguardado casamento que irá realizar-se esta sexta-feira, dia 28 (encerramento), uma festa que veio para ficar e, que, cada vez mais é levada a sério, pautando-se pelo requinte da organização.

O padre improvisado até mostrou que sabe tudo o que deve dizer para realizar este enlace matrimonial, onde todos têm uma palavra a dizer, à exceção dos noivos.

Salvador Vieira, 6 anos – “Foi muito engraçado ver peixes na praia de Porto Pim”

ferias desp 2017 salvador vieira

É a primeira vez que participo nas Férias Desportivas do CNH e foi a minha mãe que me inscreveu. Mas vim porque quis. Os meus irmãos (Margarida e Duarte) também participam. Gostei de ir à praia deserta e de ter apanhado lixo e brincado. Foi muito engraçado ter visto peixes na praia de Porto Pim.
Fiz novos amigos ao longo deste mês, durante o qual também andei de barco e fui à praia.

Rodrigo Decq Mota Costa, 7 anos – “Vou ser o padre do casamento”

ferias desp 2017 rodrigo decq mota costa

“Este é o meu 2º ano nas Férias Desportivas do Clube Naval da Horta e estou a gostar muito.
O que mais me marcou foi a praia, a rampa, andar de prancha, de caiaque, no barco de vidro, de onde se via o fundo do mar. Sem dúvida que quero voltar em 2018.

Os meus amigos já frequentavam este Programa e assim tornou-se mais divertido.
Vou ser o padre no casamento desta sexta-feira, porque o professor Miguel Mendes disse que eu tinha jeito. Os noivos são os Monitores Clésio Pereira e Maria Almeida. Fomos nós que os escolhemos por serem o casal mais giro. Trata-se de uma brincadeira que acontece no fim das Férias Desportivas. Já sei o que vou dizer enquanto padre. Os meninos das alianças são o Salvador e a Maria.

As organizadoras do casamento são Maria Rita, Mimi, Mariana, Maria Inês e meu irmão Gonçalo.
O Guilherme será o pai da noiva e do noivo o Bernardo.
Vai ser muito divertido!”

Mariana Silva, 8 anos – “Quero voltar e vou aconselhar amigos meus a inscreverem-se”

ferias desp 2017 mariana silva

“É a primeira vez que frequento as Férias Desportivas do CNH e pensei em vir porque seria uma experiência nova. Tenho muitos amigos da Escola António José de Ávila e está a ser muito divertido. Quero voltar em 2018 e vou aconselhar amigos meus a inscreverem-se no próximo ano.

Ver o fundo do mar, andar de boia a reboque do semi-rígido, ir à vela e fazer o concurso de bombas, são as atividades de que mais gostei. Bombas é dar saltos para o mar e ver quem é que ao saltar consegue provocar mais respingos. Também gostei muito de fazer Canoagem, de andar de jangada, de ir à praia deserta nadar. Encontrei muitos bichos e dentes de animal, assim como ossos.

O casamento no último dia será no Parque do Cabouco e foram os participantes que escolheram, ou por outra, “obrigaram” os noivos a casar, por serem o par mais lindo. Até já deram um abraço e um beijinho na cara.
A Maria Rita está tão entusiasmada que, juntamente com a sua avó, está a costurar a roupa para a noiva, que será um top e uma saia branca, comprida, com riscas rosa.

Os rapazes tratam da roupa do noivo. Eu vou ser madrinha. Como não vai haver alianças, estamos a pensar que os noivos vão usar uma coroa ou um colar de flores”.

Tiago Campos, 10 anos: “Um amigo meu disse que era fixe e eu achei que também ia ser”

ferias desp 2017 tiago campos

“Esta é a primeira vez que frequento as Férias Desportivas do CNH. Vim porque um amigo meu já frequentava e disse que era fixe e eu achei que também ia ser. Está a ser muito divertido e o professor Miguel também é. Os Monitores são fixes!

As atividades que mais destaco são: construção da jangada e experimentação dos materiais, saltar na escaleira, andar na boia rebocada pelo semi-rígido e no barco de vidro, de onde se vê o fundo do mar.
Durante este mês também fiz alguns amigos novos”.

Clésio Pereira, 16 anos, Monitor pela 1ª vez – “Sei lidar com os mais novos”

ferias desp 2017 clesio pereira

“É a 1ª vez que sou Monitor e fui contactado pelo CNH nesse sentido. Aceitei pelo facto de gostar e saber lidar com crianças, pois já tomei conta dos meus primos durante as férias. Foi uma experiência nova e revelou-se muito positiva.

Gostei muito de andar com eles na prancha, rebocada pela mota de água. Sem dúvida que quero repetir a experiência em 2018, pois é divertido ser Monitor.

Para mim, o mais difícil são as birras. Os mais velhos revelam-se mais complicados, porque pensam que já mandam, não sendo fácil obedecerem, o que acaba por acontecer. Até aos 9 anos, eles aceitam bem aquilo que lhes dizemos e no geral todos demonstram respeito. Sou o noivo (contrariado) e naturalmente que se trata de uma brincadeira, pois nem conhecia a Maria Almeida (noiva). Além do mais, tenho namorada”.

Maria Almeida, 18 anos, Monitora pela 1ª vez – “Gostava de repetir a experiência”

ferias desp 2017 maria almeida

“É a primeira vez que assumo as funções de Monitora e aceitei por sempre ter andado nas Férias Desportivas do CNH e por gostar de crianças. Sendo a prima mais velha, estou habituada a tomar conta dos primos mais novos.

Foi um mês agitado e um pouco cansativo, mas correu bem. São bastante barulhentos e quando chego a casa preciso de silêncio. Eles são queridos e simpáticos, mas por vezes não obedecem. É mais fácil lidar com os mais novos. Gostava de repetir a experiência.

Quanto ao casamento e ao facto de eu ter sido escolhida como noiva, acho que foi obra da Maria Castro, pois os restantes monitores são novatos e ela já é uma veterana.

O professor Miguel é simpático e todos gostam dele. Já o conhecia por ter sido meu professor.
Os participantes acabam por aprender bastante ao longo deste mês, porque o programa contempla muitas visitas de estudo e atividades variadas”.

André Oliveira, 16 anos, Monitor pela 1ª vez – “Queria experimentar algo diferente e valeu muito a pena”

ferias desp 2017 andre oliveira

“É o meu 1º ano como Monitor e aderi porque queria experimentar algo diferente. Já tinha ouvido falar deste Projeto, embora nunca tenha frequentado em criança. A minha participação fica a dever-se ao facto de ser atleta de Vela do CNH, processo que teve a intervenção do Treinador de Competição, Duarte Araújo. Gosto bastante do CNH. Aliás, é quase como uma segunda casa, pois passo a maior parte do meu tempo aqui.

Este foi um mês diferente, com muito barulho e algum cansaço, mas fiz amigos e valeu a pena. É para repetir a experiência no próximo ano.

Saliento a convivência e o facto de cada Monitor ter o seu grupo com que tem vindo a realizar atividades. O meu abrange a faixa dos 6/7 anos de idade. Posso classificá-lo como sendo um grupo engraçado e simpático.
Já conhecia o professor Miguel. É divertido e sabe lidar com crianças, percebendo-se que está habituado.
Os maiores não nos ouvem facilmente, ao contrário dos mais pequenos.

Nota-se que o grupo todo aprendeu que há momentos certos para determinadas atividades, aprendendo a respeitar os diferentes tempos e os silêncios, quando assim é necessário. Aprenderam, também, a estar em cidadania com as outras pessoas. Pode dizer-se que a brincar, aprenderam muita coisa”.

Raquel Brasil, 19 anos, Monitora pela 2ª vez – “Foi bom ter atividades diversificadas”

ferias desp 2017 raquel brasil

“Já fui Monitora em 2016 e voltei este ano porque gosto do CNH e de estar no CNH, além de gostar das crianças. Também pesou o facto de já conhecer o professor Miguel. Em pequena vinha para as Férias Desportivas e fiz Vela durante uns tempos. Foi bom o calendário deste ano ter contado com atividades diversificadas, o que veio inovar este Projeto, que apresentava algumas ações repetidas. Temos veteranos que, após a frequência de 6 anos, se despedem das Férias com pena. Isso também aconteceu comigo.

Destaco o batismo de mergulho, pois foi algo muito diferente.
Eles aprenderam muito sobre o mar, atendendo às diversas atividades náuticas.
É mais difícil trabalhar com os mais velhos, porque respondem mais e contestam algumas regras. Com os mais pequenos, a tarefa está facilitada.

Estão todos muito entusiasmados com o casamento do último dia de atividades e eu fui escolhida para madrinha da noiva.
Gosto do CNH e pretendo repetir esta experiência no próximo ano. Fiz amizades novas com os Monitores e com as crianças que, a partir de agora se conhecem melhor.
Se não tivesse aderido a este programa, teria sido um mês passado nas idas à praia, com os amigos e a ir às festas os dias todos. Também aprendi um bocadinho e considero que valeu a pena”.

Maria Castro, 20 anos – Monitora pela 4ª vez – “Este ano houve uma dinâmica diferente”

ferias desp 2017 maria castro

“Todos os anos digo que é a última vez, mas depois acabo sempre por voltar. Torna-se cansativo, mas é giro, pois as atividades são em grande parte realizadas junto ao mar, o que permite apanhar sol e ir à praia. Gosto deles e há sempre um grupo que vale a pena.

Nota-se que há miúdos que chegam aqui com medos, que aos poucos vão vencendo. Outros são tímidos, mas em conjunto acabam por mudar e conviver. Alguns aprendem a nadar. É um Projeto positivo e muito diferente de outros, pois conta uma grande variedade de atividades.

Este ano tem sido diferente. Registou-se a construção de papagaios e jangadas, o que permitiu uma dinâmica nova. Houve o lançamento de papagaios no aeroporto, a deslocação à praia deserta, a ida às baleias e o batismo de mergulho para os mais velhos. Eles gostaram bastante e tudo isto constituiu novas experiências. Devo realçar que a ida às baleias e o batismo de mergulho só foi possível graças ao apoio e grande disponibilidade do Noberto Diver, que foi muito simpático.

Todos deliraram com o facto de terem andado na boia rebocada pelo semi-rígido.
É bom haver renovação de Monitores. No meu primeiro ano não sabia como lidar com eles e é claro que agora já noto muita diferença. Já sei como impor regras e fazer com que tenha respeito.

O balanço é francamente positivo. Há uns que chegam pequeninos e que passados anos já estão grandes! Alguns já vêm desde há muito tempo, o que permite criar laços com os Monitores e com as restantes pessoas e na hora da despedida sentem saudades.

No que diz respeito às visitas de estudo, de uma maneira geral as instituições visitadas gostam de nos receber. No entanto, há sítios menos preparados para acolher este tipo de visita. Mas tem corrido bem.

O casamento é sempre bastante marcante e acontece este ano pela 3ª vez. No primeiro ano foi uma cerimónia soft. No segundo ano, umas miúdas levaram maquilhagem e aprumaram-se mais. Este ano, a Maria Rita (filha do Lúcio Rodrigues) é que comanda as tropas. É a mais direta responsável em termos de organização e a avó está a ajudar com a roupa da noiva.
Este ano a cerimónia já é bastante séria. Eu sugeri que o Clésio e a Maria Almeida fossem os noivos para que a escolha não recaísse sobre mim. Naturalmente que eles são só amigos e todos apreciam a brincadeira”.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.