Festival Náutico 2017: XII Encontro Internacional de Vela Ligeira chegou ao fim

Lício Silva, da Classe Hansa do CNH, ficou em 1º lugar, à frente do Campeão Nacional 2017

“Atendendo às circunstâncias, podemos dizer que o XII Encontro Internacional de Vela Ligeira, integrado no Festival Náutico do Clube Naval da Horta (CNH), foi óptimo. Os velejadores portaram-se muito bem e aprenderam muitíssimo. Como tal, estão de parabéns, pois lutaram muito”.

É este o balanço feito pelo Treinador de Competição de Vela Ligeira do CNH, Duarte Araújo, após três dias de intensa actividade nesta modalidade. No 1º dia deste XII Encontro (segunda, 7), as regatas decorreram muito bem, no 2º (terça, 8), as condições foram adversas e no 3º (quarta, 9), foram bastante difíceis.  Duarte Araújo corrobora esta realidade, afirmando que “foram condições muito duras, com muito vento e ondas grandes. Os velejadores revelaram o seu máximo e alguns até deram espectáculo com estas condições”. 

Questionado sobre a preparação dos atletas perante tão grande adversidade, este Técnico sustenta que “alguns estavam preparados, mas os que ainda não estão, mostraram grande vontade em aprender e conseguir. Alguns velejadores do Continente são dos melhores do país, ao passo que outros ainda estão na mesma fase de aprendizagem que os do Clube Naval da Horta”.

Duarte Araújo destaca o desempenho de Maísa Silva, Vice-Campeã Regional Feminina, embora considere que “todos os velejadores deram o seu melhor, tendo procurado aprender ao máximo nesta prova”. 

A propósito deste último dia de prova – quarta-feira – Bruno Rosa, Presidente da Comissão de Regata, refere que “houve muitas dificuldades, pois o vento estava sempre a rondar: iniciou a sudeste, passou para Norte e depois ficou noroeste um bom bocado. Quando estabilizou, ficou novamente sudeste e foi possível fazer uma regata. Apesar das condições bastante adversas, os velejadores finalizaram e sentiam-se super-contentes”.

Lício Silva é o grande vencedor da Classe Hansa

sm2017 xii eivl entr premios 3

Lício Silva, ao lado seu Treinador, João Duarte: o orgulho é mútuo

“O dia de hoje [quarta-feira] foi muito mau. Por volta das 13 horas começou a entrar vento sueste e mar e por razões de segurança, nenhum velejador da Classe Hansa acabou a regata”, explica João Duarte, Treinador da Classe Hansa do CNH. Este Técnico está muito orgulhoso perante a coragem demonstrada pelos seus velejadores e mostra particular ensejo pelo resultado alcançado por Lício Silva, que conseguiu ficar em 1º lugar na Classe 2.3, à frente do Campeão Nacional de 2017: Fernando Pinto, do Porto. A boa prestação aconteceu no 1º dia do XII Encontro Internacional de Vela Ligeira, em que Lício alcançou belíssimas classificações.

Fazendo um balanço a estes 3 dias de Provas, João Duarte sublinha que “foram muito duros em termos em termos náuticos, tendo-se verificado uma situação extrema de mar. O 1º dia estava duro, mas foi um rico dia para a Vela. O 2º não oferecia segurança e o 3º foi mesmo muito mau.

O Rui Dowling – Campeão Nacional da Classe em 2016 – não teve possibilidade de mostrar o seu potencial, pelo facto de ser um velejador muito leve, e perante estas condições extremas teria posto em causa a sua segurança, o que foi evitado”.

“Surpreendi toda a gente, até a mim próprio”

Lício Silva sustenta a grande dificuldade que envolveu este XII Encontro Internacional de Vela Ligeira e realça: “As condições eram bem adversas, o que se revelou muito difícil, e então para andar à frente do Fernando Pinto, muito pior! Ele tem um traquejo diferente de todos. Dá muita luta no mar e tem imensa experiência. É uma pessoa muito humilde, mas um velejador que batalhou e tentou sempre. Não dava hipótese a alguém. No 1º dia de Prova andei bem e consegui ficar à frente dele, que é o Campeão Nacional.

sm2017 xii eivl dia3 3

Lício Silva e Fernando Pinto na luta pelo título

No 2º dia, a Classe Hansa não fez regatas e neste 3º e último dia, o vento estava muito fraco de manhã, mas quando chegámos lá fora – foi só demora de entrar no barco e chegar ao campo de regata – começou a aumentar de intensidade e estava desagradável. Assim sendo, não acabei a regata e o Fernando continuava a batalhar, pelo que pensei que eu já não tinha qualquer hipótese. No entanto, ele também veio a desistir. Portanto, só soube que tinha ganho a prova quando já estava em terra. Surpreendi toda a gente e até a mim próprio. A minha vitória não deixa de ter uma componente de sorte, mas a Vela tem destas coisas. Estou muito satisfeito, claro, pois há imenso tempo que anseava por um 1º lugar! Foi uma boa prova e o convívio é o mais importante. Aprendemos muito com este tipo de competição, pois quando há velejadores de grande nível, como é o caso do Fernando Pinto, funcionam como concorrência elevada e temos de nos esforçar bastante. Isso também puxa por nós e faz-nos querer dar mais e evoluir. As provas e os treinos são muito renhidos e competitivos. Por isso, considero que este prémio tem um dedo deles todos. É graças à competição aguerrida, provocada pela presença e desempenho dos outros, que conseguimos batalhar mais e mais, navegando rumo à concretização dos nossos sonhos”.

A segurança foi assegurada em todas as provas

Recorde-se que as delegações que disputaram este XII Encontro Internacional de Vela Ligeira – uma organização do CNH – envolvem 150 elementos, incluindo Velejadores (mais de 120), Treinadores, Dirigentes e muitos Voluntários.

Os atletas, das Classes Optimist, 420, Laser 4.7 e Hansa, são oriundos dos Açores e do Continente português, designadamente Clube Naval da Madalena, Clube Naval de São Roque, Clube Náutico das Lajes (todos da ilha do Pico), Clube Naval da Praia da Vitória (ilha Terceira), Clube Naval de Vila Franca do Campo, Clube Naval de Ponta Delgada (ilha de São Miguel), Clube Naval das Flores, Clube Naval de Cascais, Clube de Vela do Tejo, Clube Naval de Portimão, BBDouro, Sport Club do Porto, Clube de Vela do Atlântico, Clube Naval de Viana do Castelo, além do clube anfitrião: Clube Naval da Horta.

sm2017 xii eivl entr premios 4

O Presidente da Direcção do CNH, José Decq Mota, falando, entusiasticamente, na Cerimónia da Entrega de Prémios do XII Encontro Internacional de Vela Ligeira

As actividades do programa desta quarta-feira, dia 9, terminaram com uma grande festa, que foi o jantar e a Cerimónia de Entrega de Prémios a estes destemidos velejadores, que deram provas de que estão preparados para o embate. A Tenda Multiusos do CNH foi o espaço gigante que acolheu este convívio de gente amiga, que o CNH quer voltar a receber no próximo ano. O mais alto Dirigente do Clube anfitrião congratulou-se com os resultados obtidos, a forma afincada e empenhada como todos trabalharam para o sucesso desta iniciativa e agradeceu a presença de toda a gente, além de desejar boa viagem e bons ventos a todos os convidados que, esta quinta-feira, começam a regressar às suas terras.

sm2017 xii eivl entr premios 1

As estrelas da Classe Hansa na festa que foi a Entrega de Prémios

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.