Festival Náutico 2018: “Como tudo começou...” no Caldo de Peixe deste sábado, dia 4

Presidente do CNH convida locais e estrangeiros a reviverem este momento marcante

Foto: Marina da Horta, ponto de encontros e reencontros multiculturais

A relação dos Faialenses com o mar é antiga e sobejamente conhecida. A posição geoestratégica do Faial no Atlântico Norte, a hospitalidade que caracteriza o povo desta maior cidade pequena do Mundo, que é a Horta, e o facto de os Faialenses terem um carácter de abertura ao Mundo, ditou que esta tenha sido sempre uma ilha dinâmica, mercantil e aventureira!

O mítico Caldo de Peixe assinala o arranque da Semana do Mar, há 43 anos, sendo, por isso, um símbolo do acolhimento que os faialenses tiveram e continuam a ter para com aqueles que aportavam e continuavam a aportar ao Faial: os sempre lembrados e amigos “aventureiros” como eram inicialmente conhecidos os iatistas.

Na origem do maior cartaz turístico do Faial e da primeira grande festa concelhia a surgir nos Açores, nos anos 70 do século passado, esteve a recepção à Regata Internacional de Veleiros Portsmouth/Horta/Portsmouth, em Agosto de 1975, o que motivou grandes festejos. Luís Gonçalves, então Presidente do Clube Naval da Horta (CNH), tomou a iniciativa de receber os velejadores. Estes festejos duraram uma semana e transformaram-se num acontecimento marcante e mobilizador de todos os faialenses. Ao que parece, tudo começou com as delícias de um caldo de peixe, o que permaneceu ao longo dos anos como arranque desta Semana e símbolo das suas raízes. Os velejadores estrangeiros gostaram da recepção e, agradecidos pela hospitalidade demonstrada, voltaram ano após ano.

Numa primeira fase, a organização esteve a cargo do Clube Naval da Horta e da então Comissão Regional de Turismo da Horta, com o apoio da Capitania do Porto da Horta. Embora os orçamentos fossem limitados, a vontade era muita e, gradualmente, a Festa foi colhendo a simpatia de velejadores regionais, nacionais e internacionais. Surgiram muitas e diversificadas actividades culturais e recreativas, prosseguindo a Festa com outros contornos, chamando mais organizadores e mobilizando outros recursos.

Hoje, a Semana do Mar é um cartaz mundialmente conhecido e alicercado no Festival Náutico, um programa diversificado, abrangente, completo e cativante, que comprova a capacidade organizativa do Clube Naval da Horta, a vitalidade de Atletas, Dirigentes e Treinadores e a força mobilizadora para arrastar centenas de Voluntários, que deixam as suas férias, as suas vidas pessoais e profissionais para apoiarem este certame, que empresta à Cidade-Mar e Capital Oceânica do Iatismo fulgores de cosmopolitismo, trazendo e levando gentes do mundo e para o mundo.

José Decq Mota, Presidente da Direcção do CNH, convida Locais e Estrangeiros  a conviverem à beira-mar, pelas 20h30 deste sábado, dia 4, no Caldo de Peixe evocativo de “Como tudo começou...”, para que este pedaço da nossa história possa ser sempre recordado no futuro com memórias do presente.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.